Encabezado de página

A organização de comunidades cívicas no espaço da colonização agrícola do sul do Brasil (1850-1930)

Erneldo Schallenberger
Idioma: es

Resumen

As comunidades cívicas surgiram entre os teuto-brasileiros dos espaços de colonização agrícola do sul do Brasil como resultado de um esforço de viabilização da vida associativa, entendida como forma de organização social capaz de combater a pobreza, de compensar a ausência de políticas públicas e de redes de mercado que favorecessem a promoção do bem estar social e do desenvolvimento local. As associações locais e as redes de cooperação desempenharam, neste caso, o papel de promoção e de inclusão social dos grupos de imigrantes, que careciam de mecanismos de participação política, de inserção na economia de mercado e de segurança e bem-estar social. Tratava-se, sobretudo, do entendimento de que as adversidades sociais poderiam ser superadas em base as teorias reformadoras humanistas, buscando nos fundamentos da cultura os elementos da participação cívica.

 

Palabras clave

Inmigración; asociativismo; comunidades cívicas


DOI: http://dx.doi.org/10.30972/fhn.0193389